sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Mensagem de Natal 2012–Dr. José Miguel Carvalho

Por motivos técnicos só hoje, dia 28 de Dezembro, foi possível fazer o post da habitual mensagem de Natal do Dr. José Miguel . Costuma dizer-se que o Natal é, ou deveria ser, sempre que o Homem quer, e no CDP-Santarém o espírito de Natal, de entre-ajuda, compreensão e amor ao próximo é uma constante, por isso a mensagem de Natal é oportuna em qualquer data.

sábado, 20 de outubro de 2012

Gripe Sazonal – Devo vacinar-me?

Normalmente chamada simplesmente Gripe, é uma doença infecciosa das vias aéreas causada pelo vírus da Influenza e que se transmite de forma eficaz de pessoa para pessoa. Os vírus que estão envolvidos podem ser de tipo A (com os subtipos H1N1 e H3 N2 ou de tipo B.

Os surtos epidémicos de gripe sazonal surgem anualmente e, nos países de clima temperado, ocorrem habitualmente nos meses de inverno e podem aparecer desde o fim do Outono até ao início da primavera. Nestes países o período sazonal pode durar de 6 a 10 semanas, com uma média de 2 a 10% da população a ficar infectada e a desenvolverem doença.

Em: http://www.fundacaoportuguesadopulmao.org/gripe.html


image

terça-feira, 25 de setembro de 2012

OMS investiga novo vírus da família da SARS

 

SARS - Síndrome Respiratória Aguda Severa.

Autoridades britânicas detectaram um novo vírus num homem transferido do Qatar para ser tratado em Londres.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) está a investigar as implicações para a saúde de um novo vírus, da família do que causa a Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS), identificado em dois pacientes nos últimos meses.
As autoridades britânicas alertaram no sábado ter sido detectado um novo vírus num homem transferido do Qatar para ser tratado em Londres. O paciente tinha viajado recentemente para a Arábia Saudita, onde um outro homem morreu há meses de uma doença parecida.
O primeiro caso foi detectado e confirmado pelo Centro Médico da Universidade Erasmus, na Holanda, num homem saudita de 60 anos que morreu depois de ser internado.
O novo caso, num homem proveniente do Qatar que adoeceu depois de regressar da Arábia Saudita e foi transferido para Londres quando a sua condição se agravou, foi identificado como um coronavírus.
Trata-se de uma vasta família de vírus que inclui os que causam a gripe comum, mas também a SARS, que em 2003 matou cerca de 800 pessoas numa epidemia que alastrou sobretudo na Ásia.
"Ainda é muito cedo", disse um porta-voz da OMS, Gregory Hartl. "Neste momento temos dois casos esporádicos" e ainda há muitas questões por responder.
Depois de identificar o novo vírus, a Agência para a Protecção da Saúde do Reino Unido (HPA) comparou-o com a mostra extraída do paciente saudita e as duas coincidem em 99,5%, com apenas um nucleótido de diferença. Em ambos os casos, os doentes sofreram de insuficiência renal, "o que surpreendeu os médicos porque normalmente não está associada a uma síndrome pulmonar", explicou Gregory Hartl, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.
O doente agora internado em Londres está "em estado crítico", disse Hartl.

Retirado de: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=78521

sábado, 4 de agosto de 2012

São as Pessoas que fazem as Instituições!

Conceição Marçalo - AuxiliarPara além do serviço que prestam, do edifício que as aloja, das normas e regras sobre a qual se regem, as instituições e os serviços públicos são aquilo que os seus funcionários os transformam. É de extrema importância a postura e motivação do funcionários para o espírito de boas relação com os utilizadores/utentes e para a imagem estes tem dos serviços que utilizam

É este o clima existente no CDP-Santarém. Um serviço de proximidade, em que o número dos respectivos processos dos utentes e a forma como estão prontamente disponíveis na memória do funcionários, não transforma os utentes em números de processo, mas reforça a relação próxima entre estes e aqueles – o número de processo é apenas um acessório mecanográfico. Aqui prima-se pelo respeito pelo individuo e conhecem-se as relações familiares e profissionais entres estes, pois só assim a prevenção, o diagnóstico e o tratamento atingem a máxima potencialidade.

Elemento essencial e agregador de vontades ao longo de muitos anos no nosso CDP foi a D. São, Conceição Marçal seu nome de baptismo mas entre nós foi sempre a D. São – a nossa querida São.

Reformou-se no passado 31 de Julho de 2012. Dia que lhe foi bastante atarefado o que por certo lhe permitiu alhear-se um pouco do sofrimento que sabemos a atormentava por deixar a rotina de muitos anos e o contacto diário daqueles que há muito eram a sua segunda família. Não fica refém este sentimento da D. São, também nós, funcionários e utentes, vamos sentir muito a sua falta. Na motivação constante, no bom trato para com colegas e utentes, na prontidão com que desempenhava as suas obrigações, vai ser uma referência para todos nós e motivo de frequentes tema de conversa.

Acreditamos e desejamos que não se afaste muito. Esperamos sempre por si, principalmente nos dias festivos em que o seu desembaraço e e simplicidade de tratamento nos “obriga” a “sentir-em-casa”.

Desejamos-lhe as maiores felicidades nesta nova fase da sua vida.

Obrigado por todos estes anos de profícuo convívio e sincera amizade.

Os Colegas do CDP

Família CDP

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Novo cocktail de antibióticos promete acelerar tratamento de tuberculose

O tratamento da tuberculose pode chegar a demorar dois anos e meio

Para já, não é mais do que um promissor cocktail de fármacos. Os ensaios clínicos que testam uma nova receita de três antibióticos para derrotar o bacilo da tuberculose estão ainda na fase II mas os resultados são animadores. “Esta nova combinação de medicamentos matou mais de 99% das bactérias de Tuberculose nas expectorações dos doentes no final de duas semanas de tratamento”, explicou Mel Spigelman, presidente TB Aliance, uma organização sem fins lucrativos que tem como objectivo a pesquisa de novas respostas terapêuticas para a tratar a tuberculoses.

Os resultados da experiência clínica divulgada num artigo publicado nesta semana na revista The Lancet sugerem que os tratamentos para a tuberculose possam ser reduzidos “a quatro meses ou talvez até menos do que isso” ao contrário dos seis a 30 meses de duração das terapias usadas actualmente.
Além da redução no tempo de tratamento, os investigadores responsáveis por esta nova “fórmula” (que inclui um antibiótico usado nas tratamentos tradicionais, um que é muito recente e um outro fármaco que ainda não se encontra no mercado) acreditam que será possível cortar também nos custos na ordem dos 90%.
A tuberculose é um dos problemas de saúde pública mais preocupantes a nível mundial, registando-se nos últimos anos um aumento do número de casos sobretudo nos países pobres. Citado pela AFP, o director do departamento dedicado a esta doença na OMS (Organização Mundial de Saúde), Mario Raviglione também revelou estar optimista perante esta nova combinação terapêutica “muito promissora”. “Se estes resultados forem confirmados em novos testes e se o tratamento se apresentar como um bom negócio para os países pobres será um enorme progresso”, declara Raviglione no comunicado da TB Aliance.
O novo cocktail foi testado apenas durante duas semanas, em dois centros situados na Africa do Sul. Porém, apesar do pouco tempo da experiência, os dados preliminares parecem apontar para bons resultados e para uma conclusão do tratamento em apenas quatro meses e indicam também que há certos tipos de tuberculoses resistente que também respondem de forma positiva à nova combinação. O pneumologista Andreas Diacon, professor na universidade sul-africana de Stellenbosch que é o principal responsável pelo ensaio clínico, acredita que estamos perante a perspectiva de uma forma mais eficaz e mais rápida de travar a doença.
A nova combinação terá ainda a vantagem de responder a vários tipos de tuberculose, incluindo algumas formas resistentes, o que, segundo Diacon, poderá simplificar estes tratamentos à escala mundial.


Retirado de: http://www.publico.pt/Ciências/novo-cocktail-de-antibioticos-promete-acelerar-tratamento-de-tuberculose-1556168


Ouça esta noticia aqui

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Tuberculose: serviços de saúde devem estar atentos a sinais de precariedade

O coordenador do Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose em Portugal alertou esta sexta-feira para a necessidade dos serviços de saúde estarem atentos aos sinais de precariedade que podem levar ao aumento desta doença, avança a agência Lusa.

A propósito do Dia Mundial da Tuberculose, que se assinala sábado, António Fonseca Antunes reconheceu que o aumento de casos de fome preocupa as autoridades, embora existam outros “fatores sociais” que podem levar ao aumento da doença.

“A tuberculose está associada à fome, mas não só”, disse.

Por esta razão, António Fonseca Antunes defende que os serviços de saúde devem estar “especialmente atentos ao fenómeno”.

“Os serviços de saúde têm de estar atentos ao fenómeno, porque a grande maioria dos casos de tuberculose é detectada quando as pessoas se sentem doentes e vão à procura de ajuda clínica”, disse.

Em relação aos níveis da doença em Portugal, António Fonseca Antunes confirmou a tendência dos últimos dez anos de descida, a um ritmo de 6,4 por cento ao ano.

Em 2011, foram notificados 2.231 novos casos, mais 157 retratamentos.

Portugal continua um país de incidência intermédia na Europa, prevendo António Fonseca Antunes que passe para uma incidência baixa dentro de dois anos.

Este ano, em que se assinala o 130.º ano da descoberta do bacilo da tuberculose por Robert Koch, o lema do Dia Mundial da Tuberculose é “Melhor é Possível, Stop à TB”.

A iniciativa é promovida pela Parceria Stop à TB (Stop TB Partnership), uma rede de organizações e países de combate à tuberculose.

Em 2010, em todo o mundo, o número de pessoas que a contraíram diminuiu para 8,8 milhões, incluindo 1,1 milhões de pessoas infectadas com o VIH.

O número de novos casos tem vindo a diminuir desde 2005, mas de forma muito lenta e acompanhada da ameaça da Tuberculose Multirresistente (TBMR).

Retirado de:  http://www.rcmpharma.com/actualidade/saude/23-03-12/tuberculose-servicos-de-saude-devem-estar-atentos-sinais-de-precariedade

Tuberculose recua pela primeira vez no mundo

Tuberculose recua pela primeira vez no mundo

Ainda assim, a OMS não deixa de apelar à continuação da luta contra as variantes da doença resistentes aos medicamentos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje que a tuberculose recuou pela primeira vez no mundo. O relatório anual da organização revela que houve uma descida de 1,4 milhões no número de infectados de 2009 para 2010.

Ainda assim, a OMS não deixa de apelar à atenção às variantes da doença resistentes aos medicamentos. A luta contra a tuberculose multirresistente necessita de ser mais financiada, diz o relatório, com pelo menos mais mil milhões de dólares (730 milhões de euros) no próximo ano.
Em 2010, 46 mil pessoas em todo o mundo receberam tratamento contra a tuberculose multirresistente, apenas 16% da população atingida por esta variante da doença. 
Os doentes nesses casos são vítimas de uma bactéria que deixa de responder ao tratamento habitual de seis meses e são submetidos a outra terapia que
se prolonga por dois anos e recorre a medicamentos mais fortes e mais caros.
Na última década, os progressos mais notórios ocorreram no Quénia e na Tanzânia. Dois outros avanços assinalados no combate à doença ocorreram no Brasil
e na China, onde o número de mortos baixou de 200 mil para 50 mil no espaço de 20 anos.
 

Retirado de: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=34172

Casos de tuberculose concentram-se em Lisboa

Em 2010 apareceram em Portugal 22 novos casos para 100 mil habitantes. A incidência da doença baixou para metade em dez anos, revela relatório.

O relatório nacional sobre a tuberculose aponta Lisboa e Vale do Tejo como a região do país onde se concentram mais casos de multi-resistência aos tratamentos e também de tuberculose extensivamente resistente.
Esta última é uma forma detectada em 2006 que é potencialmente incurável com os antibióticos disponíveis. Não é o caso em Portugal, embora os tratamentos sejam em regra mil vezes mais caros e mais demorados.
Desta forma, o bacilo mais grave de tuberculose está agora a infectar pessoas que nunca tiveram a doença, considerada endémica nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.
Incidência baixou para metade
A incidência da tuberculose em Portugal baixou para cerca de metade numa década, de 40 novos casos por 100 mil habitantes em 2001 para 22 em 2010, revela um relatório da Direção-geral da Saúde (DGS).
Segundo o relatório para o Dia Mundial da Tuberculose (assinalado a 24 de Março), foram diagnosticados no ano passado 2.559 casos de tuberculose em Portugal, incluindo casos novos e retratamentos.
Factores de risco
As pessoas mais afectadas são os homens dos 35 aos 44 anos e os imigrantes têm quase 3,5 vezes mais probabilidade de contrair tuberculose do que os portugueses.
A infecção VIH/SIDA, o factor de risco mais importante, tem uma prevalência de 11% entre os casos de tuberculose, o que significa um decréscimo do número de doentes para menos de metade nos últimos 10 anos.
A toxicodependência, o alcoolismo, a reclusão e a situação de sem-abrigo são factores importantes de risco para a doença e determinantes para o prognóstico.

Retirado de: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=6963

Detectados Casos Incuráveis de Tuberculose na Índia

Nos últimos anos têm surgido novas estirpes de tuberculose, cada vez mais resistentes aos tratamentos com antibióticos

Depois de detectados 12 casos de tuberculose aparentemente incurável na Índia, os pacientes foram tratados ao longo de dois anos num hospital da capital, Mumbai, mas três já faleceram e os médicos declaram que se trata de uma forma de tuberculose que resiste a todos os medicamentos conhecidos.
O centro de controlo de doenças dos Estados Unidos reconhece a situação, enquanto o Ministério indiano da Saúde decretou mais investigações a estes casos, os primeiros do género detectados no país.
Os pacientes são oriundos de bairros de lata, o que coloca o perigo de fácil contágio e dificuldade em controlar, no futuro, o surgimento de novos casos.
Nos últimos anos têm surgido novas estirpes de tuberculose, cada vez mais resistentes aos tratamentos com antibióticos.

Retirado de: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=26&did=46978

Europa Reforça Orçamento Para a Tuberculose

Pneumologista Miguel Vilar considera que a pobreza não é causa da doença, mas sim os comportamentos de risco, como o alcoolismo

O Centro Europeu de Controlo de Doenças vai reforçar o orçamento para a tuberculose. Os cortes nos orçamentos dos governos da Europa e as experiências com outras crises ditaram a decisão.

A instituição já determinou que irá reforçar o orçamento disponível para a área da tuberculose. A decisão foi tomada com base na recessão e nos cortes dos governos da Europa, em médicos e verbas.

Os especialistas prevêem um aumento de casos, um acesso aos cuidados mais difícil, por parte de alguns grupos populacionais, e um diagnóstico e tratamento mais demorado e de menor qualidade.

Para o pneumologista Miguel Vilar, Portugal, neste momento, só tem falta de profissionais: “Na cidade de Lisboa, aqui há três ou quatro anos atrás, havia quatro centros de diagnóstico e agora só há um”. O médico destaca ainda “a falta de enfermeiros e administrativos.”

O Centro Europeu de Controlo de Doenças recorda experiências de antigas crises. A pobreza aumenta, o que implica alterações na alimentação e condições de alimentação, e o desemprego faz crescer a criminalidade e o número de pessoas nas prisões, locais onde a incidência de tuberculose é maior, devido ao consumo de drogas e álcool.

Miguel Vilar explica que “não é pela pobreza em si” que a pessoa será contagiada pela tuberculose, mas sim por culpa do aumento da ingestão de álcool e dos “comportamentos de risco”.

Apesar do esforço para melhorar os níveis de combate à tuberculose, nos últimos 20 anos, Portugal ainda não atingiu os números da União Europeia

Retirado de: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=55812

Universidade de Coimbra dá Passo em Frente no Tratamento da Tuberculose

Portugueses são as principais vítimas de tuberculose na União Europeia. Investigadores de Coimbra pretendem acabar com alguns efeitos secundários que podem levar à morte

Um grupo de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra está a coordenar um estudo pioneiro que visa uma maior eficácia nos tratamentos contra a tuberculose, utilizando a informação genética dos doentes. Portugal é o país da União Europeia com maior incidência da patologia.
“Determinar previamente as características genéticas do doente para, desde o início, o medicamento ser administrado já na dose mais correcta, de maneira a diminuir, dentro do possível, a taxa de complicações”, explica a coordenadora da investigação, Henriqueta Coimbra. 
Ao limitar com maior precisão a dose exacta para cada paciente, os pesquisadores revelam que é possível evitar certos efeitos secundários que podem exigir transplantes hepáticos ou até levar à morte do doente.
As dificuldades afectam não só as vítimas da tuberculose, como também os elementos próximos da família. “As complicações também têm surgido em familiares que não estão sequer doentes, mas tomam medicação como medida preventiva e também estão expostos à toxicidade” do tratamento, alerta a investigadora. 
Portugal é o país da União Europeia com maior taxa de incidência da tuberculose. Todos os anos, surgem cerca de 29 novos casos por cada 100 mil habitantes. A doença faz-se sentir, sobretudo, nas áreas metropolitanas de Lisboa, Porto e Setúbal.

Retirado de: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=57664

Teste Rápido e Barato à Tuberculose dá Prémio a Dois Portugueses

tuberculose2825f44a_400x225Dois investigadores portugueses descobriram um novo teste para diagnosticar a tuberculose, mais rápido e mais barato, uma descoberta que lhes valeu um prémio de mérito que recebem esta sexta-feira.
Pedro Viana Baptista, do departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Nova, e Miguel Viveiros Bettencourt, do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, descobriram um sistema inovador para detectar o agente etiológico da tuberculose e as mutações mais frequentemente implicadas na resistência a antibióticos.
No estudo premiado, intitulado "Nano TB Nanodiagnostics for XDRT at a point-of-need", utiliza-se um sistema de nanotecnologia para fazer um diagnóstico molecular e identificar a presença, ou não, do organismo e se tem padrão de resistência.
Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a tuberculose mantém-se na lista das mais sérias doenças infecciosas ao nível global, com cerca de 1,1 milhões de mortes e 8,8 milhões de novos casos em 2010.
A cerimónia de entrega do prémio conta com a presença de Jorge Sampaio, enviado do Secretário-Geral das Nações Unidas para a tuberculose, e do director-geral da Saúde, Francisco George.

Retirado em: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=58221

quarta-feira, 14 de março de 2012

Dar Voz Pela DPOC

Quando menos se esperava, 4 cantores líricos juntaram-se na Gare do Oriente e alto e bom som deram voz à DPOC. Uma acção que surpreendeu e marcou o dia mundial da DPOC, a 16 de Novembro. O momento, que durou alguns minutos, foi da responsabilidade da Sociedade Portuguesa de Pneumologia e da Fundação Portuguesa do Pulmão.

Veja outras trabalhos da Sociedade Portuguesa de Pneumologia em: http://www.youtube.com/user/SPPneumologia

ou em: http://www.sppneumologia.pt/

domingo, 4 de março de 2012

Europa, África, Caraíbas e Pacífico Contra a Tuberculose

No âmbito do Dia Mundial da Tuberculose, que se assinala dia 24 de março, realiza-se, no Parlamento Europeu, em Bruxelas, o simpósio «Europe and ACP together against tuberculosis». A iniciativa, que terá lugar dia 22 de março, é organizada pela TuBerculosis Vaccine Initative (TBVI), entidade que visa coordenar os esforços europeus no sentido de serem desenvolvidas vacinas mais efectivas e seguras contra a tuberculose.
O tema do simpósio deste ano estará centrado na forma como a Europa e países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) podem cooperar na luta contra a tuberculose.



Pode consultar mais informações sobre o Dia Mundial da Tuberculose
AQUI.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

PULMONALE– Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão (IPSS)

pulmonale2

Consulta de Cessação Tabágica

Sendo o tabagismo o principal factor de risco para o cancro do pulmão, é fundamental criar consultas de cessação tabágica de fácil acesso e pró-activas, integradas num grupo multidisciplinar, que inclua apoio psicológico e de nutricionismo.

Este é um dos nossos objectivos - disponibilizar consultas de desabituação tabágica aos nossos associados e criar, especificamente, este tipo de consultas para os jovens.

Serão consultas que se pretendem integradas num Grupo Multidisciplinar de Cessação Tabágica e que estejam articuladas com a Psicologia e a Nutrição.

Pretende-se, ainda, poder vir a fornecer gratuitamente, pelo menos, parte da medicação que ajuda a deixar de fumar.

 

Chocar Para Alertar!!!

 

De entre todas as formas de neoplasia, que irremediavelmente estamos sujeitos, a magnitude de casos da do pulmão depende exclusivamente da atitude do cidadão – Fumar ou não fumar, frequentar o não frequentar lugares com fumadores activos, permitir o não permitir o acto de fumar em lugares fechados..

Seja, ninguém está isento de padecer de cancro do pulmão ou outros relacionados com a prática de fumar, no entanto a possibilidade de contrair cancro do pulmão aumentar exponencialmente nos fumadores (activos e até passivos).

O aumento da disponibilidade de informação sobre o assunto nem sempre é proporcional ao sucesso da mensagem que se pretende transmitir – NÃO FUME PELA SUA SAUDE. Mesmo assim não podemos baixar os braços e desvalorizar a sua importância.

Abaixo, um vídeo chocante! Sim, chocante mas real. Pode acontecer a qualquer um de nós, mas com muito, muito mais probabilidade de acontecer a um fumador. Só depende de si e da sua vontade.