terça-feira, 28 de março de 2017

24 de Março de 2017 – Dia mundial da tuberculose

No dia 23 de Março, véspera do Dia mundial da tuberculose, realizou-se uma sessão comemorativa, no Auditório da Escola Superior de Saúde de Santarém (ESSS), que foi organizada pelo Centro de Diagnóstico Pneumológico (CDP) de Santarém, com o apoio do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria e da Associação Nacional de Tuberculose e Doenças Respiratórias (ANTDR) e da Fundação Portuguesa do Pulmão (FPP).

Na mesa da sessão de abertura estiveram presentes a Dr.ª Maria da Conceição Gomes, em representação da Direcção da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, e também da ANTDR, pela Dr.ª Diana Leiria, Directora executiva do ACES Lezíria, Dr. Vaz Rico, em representação da Direcção do Hospital Distrital de Santarém, o Prof. António Tavares, Director do Departamento de Saúde Pública da ARSLVT, o Dr. Nuno Martins, em representação da Direcção da ESSS e pelo Dr. José Miguel Carvalho, responsável do CDP Santarém.

A sessão, começando com o tema “A Tuberculose hoje”, cuja introdução foi apresentada pela Dr.ª Maria da Conceição Gomes, teve uma abordagem da situação em Portugal pela Prof.ª Dr.ª Raquel Duarte, Coordenadora nacional do Programa de Tuberculose, e da situação em Santarém pelo Dr. José Miguel Carvalho. A Sr.ª Enf.ª Elizabeth Cunha falou de “Como lidar com a doença”.
A sessão terminou com a conferência “A tuberculose e o tango”, pelo Dr. António Ramalho de Almeida. Esta abordagem do tema, com inúmeros exemplos literários e musicais permitiu documentar como a doença era encarada na era pré-antibióticos, em que a tuberculose era causa de grave situação epidémica a nível mundial; contámos ainda com a participação do casal Teresa Nascimento e Nuno Martins, que dançaram dois tangos, acompanhando a exposição do tema pela conferência.

A situação da tuberculose em Portugal, e também no distrito de Santarém, é a de uma evolução positiva, com uma descida sustentada da incidência; se bem que mais lentamente do que o que gostaríamos, a incidência no conjunto do país já se situa abaixo dos 20 casos/100000 habitantes, e no distrito de Santarém pelos 12 casos/100000 habitantes.

A tuberculose é uma doença curável e, aqueles que possam adoecer devem recorrer ao seu médico assistente precocemente para que se impeça o mais possível a cadeia de transmissão da doença; e se estiverem doentes, colaborando no tratamento, tomando a medicação todos os dias, regularmente, sem falhas, podem estar seguros de que se curam e poderão retomar a sua vida normalmente.

Ainda, por fim, é importante sublinhar a ideia de que ninguém adoece por querer, ou tem culpa de adoecer: é por isso que, se temos algum familiar, amigo ou colega de trabalho, devemos ser solidários e não tomar atitudes de medo da doença que não têm qualquer justificação. Quem teve algum contacto recente com a doença deve consultar o seu médico ou o CDP para efectuar um rastreio que permitirá detectar algum problema que possa existir. Na maior parte dos casos não há qualquer complicação, mas, se houver, são sempre situações controláveis.

Tuberculose – doença curável e controlável!

Centro de Diagnóstico Pneumológico de Santarém